Escola de Aplicação da USP tem déficit de professores

06 de junho de 2018 – 

 

 

Representantes dos pais de alunos da Escola de Aplicação da USP estiveram na Alesp no dia 21/5 para pedir apoio dos parlamentares contra a política de desmonte iniciada pelo então reitor Marco Antônio Zago e mantida por seu sucessor, Vahan Agoypan. Eles foram recebidos pelo deputado Carlos Giannazi, que apresentou em Plenário o abaixo-assinado organizado pela comunidade escolar.

A escola foi criada em 1953 pelo extinto Centro Regional de Pesquisas Educacionais, para realizar ensaios de técnicas de ensino e oferecer cursos de aperfeiçoamento para professores. Em 1973, passou a ser vinculada à Faculdade de Educação da USP, tornando-se referência para estágios e pesquisas e sendo considerada uma das melhores escolas públicas do Brasil.

Essa conquista está ameaçada. Desde 2015, professores e funcionários que deixam a escola não são mais substituídos. Atualmente há um déficit de 19 docentes, com duas salas do ensino fundamental (1º e 3º anos) sem professor. A escola não oferece merenda, contrariando a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, e os prédios sofrem com falta de manutenção, sendo que o bloco mais antigo está cedendo.

Giannazi apresentou novos requerimentos de convocação do reitor, já que na última audiência pública, em 16/5, Vahan não respondeu às perguntas e não apresentou nenhuma proposta em relação às denúncias apresentadas.