Projeto declara Paulo Freire como o patrono da educação paulista

 

 

O Projeto de Lei 998/2017, de autoria do deputado Carlos Giannazi, publicado no último dia 27/10, declara o educador Paulo Freire patrono da educação paulista. A proposta reafirma a importância de “Pedagogia do Oprimido” e das dezenas de obras assinadas por Freire, que o tornaram o pensador brasileiro mais reconhecido internacionalmente. A proposta também é uma forma de resistência à campanha do movimento Escola sem Partido, que busca a revogação do título de patrono da educação brasileira conferido ao professor pela Lei Federal 12.612/2012.

 

Giannazi conta que Freire sempre defendeu o diálogo com as pessoas simples, não só como método, mas como um modo de ser realmente democrático. “Ele dizia que ninguém ensina nada a ninguém, mas as pessoas também não aprendem sozinhas: o aluno chega à escola levando uma cultura que não é melhor nem pior do que a do professor. Em sala de aula, os dois lados aprenderão juntos, um com o outro, e para isso é necessário que as relações sejam afetivas e democráticas, garantindo a todos a possibilidade de se expressar.”

 

“Paulo Freire é o maior nome da educação brasileira, tendo sido laureado doutor honoris causa por 41 universidades e agraciado com o prêmio da Unesco de Educação para a Paz. Seu histórico, ensinamentos e indiscutíveis contribuições à educação pública o fazem merecedor de reconhecimento também pelo Estado de São Paulo.”