SP deixa de nomear enfermeiros concursados e opta por temporários e terceirização

Visualizações: contador de visitas

 

03 de março de 2021 –

 

 

Na tribuna da Alesp, em 28/2, Carlos Giannazi (PSOL) apelou ao secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, para que seja feita a chamada imediata de todos os 834 aprovados no concurso de enfermeiro iniciado em 2016. O certame foi organizado pela Unidade de Gestão Assistencial 1 (UGA 1) ” Hospital de Heliópolis, mas, segundo o deputado, não há nenhum impedimento para que esses profissionais sejam designados para outras unidades de saúde geridas pelo Estado.

 

Até agora, apenas oito enfermeiros foram nomeados. Outros foram até convocados, mas a administração acabou não finalizando os atos de posse. Em vez disso, a Secretaria da Saúde vem optando por mão de obra precarizada, seja por meio de contratos temporários, seja pela contratação de empresas intermediárias que terceirizam esses serviços.

 

“É um absurdo! Quando nós mais precisamos de profissionais da saúde, o Estado se isenta de fazer a chamada dos aprovados. Essas pessoas estão plenamente qualificadas para formar quadros estáveis em nossos hospitais”, afirmou o deputado, advertindo que a realização do certame gerou um custo significativo tanto para o governo quanto para os candidatos, que, além do tempo dedicado aos estudos, tiveram de investir quantias consideráveis para essa preparação. “Fazer concurso e não nomear é mais que uma afronta ao bom senso, é improbidade administrativa”, argumentou.